Page Nav

Grid

GRID_STYLE

Classic Header

{fbt_classic_header}


 

Destaques:

latest

Classic Header

Goiás lidera geração de empregos no Centro-Oeste

Dados divulgados nesta quarta-feira (23/12) pelo Caged indicam saldo de 28.200 novas vagas com carteira assinada no Estado entre janeiro e n...



Dados divulgados nesta quarta-feira (23/12) pelo Caged indicam saldo de 28.200 novas vagas com carteira assinada no Estado entre janeiro e novembro e 6.413 em novembro. Números colocam Estado na sexta posição nacional


No acumulado do ano Goiás apresentou saldo de 28.200 empregos, ficando à frente de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. (Foto: Divulgação)

A recuperação de vários setores da economia com a retomada de contratações continua em Goiás. É o que revelam os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão do Ministério da Economia, divulgados nesta quarta-feira (23/12). O Estado apresentou em novembro saldo positivo de 6.413 novos empregos, resultado do total de admissões e desligamento do período.

Os números do Caged indicam que Goiás está em primeiro lugar na Região Centro-Oeste do Brasil na geração de empregos, tanto nos dados do mês de novembro quanto no acumulado de janeiro a novembro de 2020.

Pelas redes sociais o governador Ronaldo Caiado comemorou o resultado. "Mesmo com a pandemia somos destaque pela quinta vez consecutiva na geração de emprego e renda no Centro-Oeste." Segundo Caiado, "tudo isso se deve a uma gestão séria e comprometida, onde todos os órgãos se mobilizam e trabalham em equipe para dar melhores condições ao povo goiano". E completou: "Seguimos investindo no nosso Estado, sem medir esforços para devolver Goiás a cada cidadão que vive aqui".

Segundo o Caged, no acumulado do ano (janeiro a novembro), Goiás apresentou saldo de 28.200 empregos, ficando à frente de Mato Grosso (26.311), Mato Grosso do Sul (16.511) e Distrito Federal (-10.222).

Com os números registrados em novembro, o Estado recupera os empregos perdidos nos meses mais críticos da pandemia – março, abril e maio –, quando sofreu queda de 30.211 vagas. Somente a soma dos saldos positivos alcançados nos meses de junho, julho, agosto, setembro, outubro e novembro atinge a marca de 28.200 empregos, número que coloca Goiás na sexta posição nacional, ficando atrás de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Pará e Minas Gerais.

O saldo de 6.413 empregos em novembro é o resultado de 48.685 admissões contra 42.272 desligamentos. No Brasil, esse índice total em novembro também é positivo: de 414.556 novas vagas de trabalho. Em 2019, nesse mesmo período, o saldo era de 99.232.

Ainda conforme aponta o Caged, a indústria de Goiás segue puxando a recuperação da economia e gerando emprego. Os dados mostram no painel por setores da economia que o setor industrial produziu um saldo de 11.258 postos de trabalho entre janeiro e novembro.

Na segunda posição por setor aparece a construção civil, com 9.190 vagas de empregos criadas nesse período, seguida pela agropecuária, com 3.760 novas vagas. Os setores de comércio e de serviços finalmente apresentaram dados positivos, 3.537 e 455, respectivamente.

O secretário de Indústria, Comércio e Serviços do Governo de Goiás, Adonídio Neto, disse que chega neste final de ano com a certeza de que os números são reflexo direto das ações do Governo de Goiás na ajuda às empresas e indústrias. "Estamos no caminho certo para deixar essa crise para trás como um momento triste para nossa economia, que está se recuperando pela força de trabalho da população goiana", frisou o secretário.

Adonídio também acredita que o mês de dezembro virá com números positivos no processo de geração de empregos com carteira assinada.


Nenhum comentário

Obrigado por contribuir com seu comentário! Ficamos felizes por ser nosso leitor! Seja muito bem vindo! Acompanhe sempre as nossas notícias! A equipe Tribuna do Brasil agradece!