Page Nav

Grid

GRID_STYLE

Classic Header

{fbt_classic_header}


 

Destaques:

latest

Classic Header

DISTRITO FEDERAL | CLDF PRESENTE - Em cerimônia do MPDFT, Delmasso anuncia Política Distrital de Educação para Integridade e Cidadania.

Projeto de lei visa perpetuar as ações de sucesso do projeto NaMoral Foto: Rogério Alves. Nesta quinta-feira (11), o deputado Delmasso (Repu...

Projeto de lei visa perpetuar as ações de sucesso do projeto NaMoral

Foto: Rogério Alves.

Nesta quinta-feira (11), o deputado Delmasso (Republicanos-DF) participou da cerimônia de entrega do Prêmio CNMP 2020, na categoria redução da corrupção, ao Projeto "NaMoral", do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). Na ocasião, Delmasso, que também é vice-presidente da Câmara Legislativa (CLDF), anunciou um projeto de lei para garantir e ampliar o projeto "NaMoral", o PL nº 1687.

Ao ter conhecimento anterior do Projeto "Na Moral", Delmasso considerou importante torná-lo uma política pública de Estado. "Eu tive a honra de apresentar um projeto de lei, que começou a tramitação recentemente, que cria a Política Distrital de Educação para Integridade e Cidadania, transformando todas essas ações, que deram resultado, em política pública de estado. Eu só acredito em projetos que dão certo, quando eles se perpetuam por meio de políticas públicas e investimento", disse o vice-presidente da CLDF.

O projeto "NaMoral" trabalha os fatores da justiça, integridade, cidadania, respeito e empatia nas escolas do DF. O projeto, que tem o slogan – esperto mesmo é ser honesto, se dá por meio de rodas de conversa e missões, para que na forma de um jogo, os alunos reflitam sobre as suas decisões. Cerca de 8 mil crianças e jovens foram impactados pelo "NaMoral". Mais de 250 estudantes participaram diretamente, integrando as equipes dos nove colégios. Também participaram 84 professores e mais de 60 voluntários. O projeto impactou ainda, mais de 700 pais de alunos. As escolas ganhadoras foram premiadas com recursos, provenientes de multas por atos de corrupção e vão usar o valor para melhorias na infraestrutura.  

A coordenadora do projeto "NaMoral" e promotora de Justiça Luciana Ásper, disse que os envolvidos no projeto estão comprometidos em dar as mãos na política pública da educação, para que possamos oferecer à nossa geração, essa oportunidade de serem os transformadores de verdade. "Nós queremos que esta nova geração realmente acredite que a corrupção é o maior inimigo dela, e ela não pode aceitar um sistema corrupto, ou ser tolerante à corrupção e muito menos, à impunidade, que fomenta a corrupção. É eles entenderem que eles não são vítimas, mas protagonistas e capazes de fazer a mudança".

"Que possamos ser inconformados com a riqueza do Brasil e com a miséria com que muitos brasileiros vivem. Dados do IBGE apontam que 10.4 milhões de brasileiros, que são os 5% mais pobres, vivem com R$51,00 mensais. Sendo que, em um desvio de corrupção, uma única pessoa, um único diretor de uma empresa pública, devolveu 100 milhões de dólares, mais de R$ 500 milhões de reais. Que sejamos inconformados para que nós, brasileiros, possamos aproveitar e usufruir da boa, perfeita e agradável vontade que Deus tem pra nossa nação e que Ele nos entregou, pra que a gente possa ser bons mordomos de todo esse tesouro que nós temos nas nossas mãos", enfatizou a promotora Luciana Ásper.  

Em sua fala, Delmasso citou trecho da carta aos Romanos, escrita pelo Apóstolo Paulo: "E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus". Romanos 12:2. Para o parlamentar, nesse trecho se vê a integridade. "Quando nós vemos este processo de transformação cultural, porque o projeto Na Moral transformou a cultura por onde ele passou. O jeitinho, que antes era normal, como colar na prova, com certeza passou a ter outro significado para os alunos", exemplificou Delmasso.

Delmasso parabenizou a todos do Ministério Público pelo projeto, pois além de denunciar os crimes, se reparam os danos. "Vocês tiveram a percepção de que a verdadeira mudança na sociedade é a formação do caráter do indivíduo. E faço um desafio aqui para levarmos este projeto de lei ao Congresso Nacional, para termos um programa como este, em todo o Brasil", finalizou o parlamentar.

No Ministério Público, compuseram a mesa de honra: a procuradora-geral de Justiça do Distrito Federal e Territórios, Fabiana Costa Barreto; a coordenadora do projeto NaMoral e promotora de Justiça Luciana Ásper; o conselheiro do CNMP, Marcelo Weitzel; a secretária nacional de Educação Básica do Ministério da Educação, Izabel Lima Pessoa; o vice-presidente da Câmara Legislativa do DF, deputado Delmasso; o secretário de Estado de Educação do DF, Leandro Cruz; o diretor de Políticas e Diretrizes da Educação Básica do MEC, Helber Ricardo Vieira; o assessor de políticas institucionais do MPDFT, promotor de Justiça, Georges Seigneur; a promotora de Justiça, Lena Daher; a promotora de Justiça Cláudia Tomelin, primeira coordenadora do projeto NaMoral e o promotor de Justiça Adjunto, Jorge Mansur.

REDAÇÃO TRIBUNA DO BRASIL


UMA MARCA DO GRUPO

Nenhum comentário

Obrigado por contribuir com seu comentário! Ficamos felizes por ser nosso leitor! Seja muito bem vindo! Acompanhe sempre as nossas notícias! A equipe Tribuna do Brasil agradece!