Page Nav

Grid

GRID_STYLE

Classic Header

{fbt_classic_header}


 

Destaques:

latest

Classic Header

BRASIL | GOIÁS - Goiás deve bater recorde na produção de trigo na atual safra.

Enquanto a expectativa para a safra de grãos 2020/2021 aponta produção de 27,5 milhões de toneladas em Goiás, uma cultura, especificamente, ...

Enquanto a expectativa para a safra de grãos 2020/2021 aponta produção de 27,5 milhões de toneladas em Goiás, uma cultura, especificamente, tem ganhado atenção de produtores e sido alvo de investimentos no Estado: o trigo. Dados divulgados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nesta quinta-feira (11/02), no 5º Levantamento da Safra de Grãos 2020/2021

Aumento da produção de trigo em Goiás para 241,6 mil toneladas deve colocar o Estado em quarto lugar no ranking nacional - Foto: Wenderson Araujo/Sistema CNA.

Com incremento na produção do cereal previsto em 161,5%, Estado deve alcançar quarto lugar no país, com 241,6 mil toneladas produzidas, segundo a Conab. "Fatores como mercado aquecido e estímulo do Governo de Goiás para a instalação de indústrias favorecem produtores do grão", avalia Antônio Carlos, titular da Seapa

Enquanto a expectativa para a safra de grãos 2020/2021 aponta produção de 27,5 milhões de toneladas em Goiás, uma cultura, especificamente, tem ganhado atenção de produtores e sido alvo de investimentos no Estado: o trigo. Dados divulgados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nesta quinta-feira (11/02), no 5º Levantamento da Safra de Grãos 2020/2021, apontam que o cereal deve alcançar produção de 241,6 mil toneladas, recorde na série histórica que coloca Goiás como quarto maior produtor nacional de trigo, atrás apenas de Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

O incremento esperado na produção de trigo em Goiás é de 161,5% em relação à safra passada, que havia sido de 92,4 mil toneladas. Parte se deve à área plantada, que deve aumentar 211,7% (de 23,1 mil hectares para 72 mil hectares), e também ao desenvolvimento de variedades adaptadas ao Cerrado goiano.

Segundo a Conab, o plantio no Estado está previsto para março, especialmente de trigo sequeiro. Além disso, o grão vive um bom momento em decorrência da demanda de moinhos por matéria-prima, da expectativa de bons preços e da adaptação ao regime de chuvas do Cerrado.

Na avaliação do secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, o aumento do investimento de produtores no trigo mostra o alinhamento do setor agropecuário em Goiás com o setor industrial, de maneira atenta às demandas e ao mercado. "Sempre falamos da importância do setor agropecuário como base da economia goiana e brasileira e isso se dá não só pela produção, mas também pela indústria de alimentos, que agrega valor aos nossos produtos", analisa.

Segundo o secretário, no caso do trigo, o mercado internacional aponta restrições na oferta de outros países, que exportam o grão para o Brasil, o que abre mais oportunidades para os produtores locais. "Além disso, o Governo de Goiás também estimula esse mercado", salienta.

Conforme lembra o secretário, no último ano, o governador Ronaldo Caiado assinou protocolos de intenção, por meio da Secretaria de Indústria e Comércio (SIC), para instalação de indústrias no Estado, incluindo mais um moinho no município de Guapó, além dos já existentes no Estado. "Isso mostra que há mercado, oferta, demanda e oportunidade. O Governo de Goiás atua em diversas frentes para estimular a produção agrícola e industrial e isso gera emprego, renda e estimula o desenvolvimento econômico e social", completa Antônio Carlos.

Outros grãos

O levantamento da Conab também aponta bons prognósticos para a produção de outras culturas no Estado como soja, milho segunda safra, girassol, feijão, arroz e sorgo, na safra 2020/2021.

A produção de soja, que deverá ter a colheita iniciada neste mês, deve ficar em 13,4 milhões de toneladas (aumento de 1,9% em relação à safra passada). Já o milho segunda safra, em que a produção se inicia na sucessão do cultivo de soja, deve alcançar 10,5 milhões de toneladas (aumento de 0,7%).

O girassol deve levar o Estado a uma produção de 34,1 mil toneladas (aumento de 3,6%). Com isso, Goiás ultrapassa Mato Grosso e passa a ocupar a primeira posição no ranking nacional.

A estimativa da produção total de feijão (primeira, segunda e terceira safras) no Estado deve alcançar 343 mil toneladas (aumento de 3,1%). Já a estimativa para o arroz é de alcançar 130,9 mil toneladas (aumento de 8,7%).

No caso do sorgo, cultura em que Goiás já detém a maior produção do país, a expectativa é colher 1,3 milhão de toneladas (aumento de 17,5% em relação à safra anterior).

IBGE

Também foi divulgado nesta quinta-feira, o Levantamento Sistemático da Produção Agropecuária (LSPA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referente ao mês de janeiro. Nele, destacam-se o crescimento da produção de tomate, laranja e uva, em Goiás.

Segundo a publicação, o Estado continua sendo o maior produtor nacional de tomate e a estimativa é de produção de 1,15 milhão de toneladas (aumento de 9,1% em relação ao mesmo período do ano passado). Já a produção de laranja é prevista em 155,4 mil toneladas (aumento de 12,3%) e a da uva, 1,6 mil toneladas (aumento de 11%).

REDAÇÃO TRIBUNA DO BRASIL


UMA MARCA DO GRUPO

Nenhum comentário

Obrigado por contribuir com seu comentário! Ficamos felizes por ser nosso leitor! Seja muito bem vindo! Acompanhe sempre as nossas notícias! A equipe Tribuna do Brasil agradece!